Revista Impressos Quero ser Sócio Área Pessoal Galeria Biblioteca Pesquisa Newsletter

Calendário
Recreativo
Desportivo
Cultural
Férias e Viagens
Vida Associativa
Parceiros
 

Página Inicial > Recreativo >

imprimir
Visita à Adega José Maria da Fonseca
Em Azeitão, o Moscatel bebeu-se bem doce!

A manhã começou com as típicas nuvens da Primavera. Azeitão era o destino a tomar e mesmo que chovesse as Adegas da José Maria da Fonseca estão de portas abertas há mais de 100 anos!

O Moscatel, principal produto desta casa, conta com mais de 100 anos de região demarcada e a José Maria da Fonseca engarrafa este precioso néctar desde 1850, ainda em tempos da monarquia.

Nesses tempos a exportação de Moscatel era feita para o Brasil e o destino quis que as viagens marítimas o transformassem ao ponto de ser mais valorizado no regresso que na ida. As amplitudes térmicas, maresia e movimentação das naus no Atlântico, envelheciam este vinho de forma inigualável ao ponto dessas garrafas serem hoje consideradas uma raridade pela sua qualidade e paladar. A estes moscatéis deram o nome de Torna-Viagem e ainda hoje são envelhecidos pelo mesmo método com uma ajudinha do navio-escola Sagres, que frequentemente faz o percurso trilhado por Pedro Álvares Cabral.

Estas e outras histórias foram contadas pela nossa guia na visita ao Museu, Jardins e Adegas da Herdade. A visita passou pelas adegas com os seus tonéis gigantes de 20.000 litros e outras histórias de navegadores e bons apreciadores. Ficámos a saber que o Periquita é um vinho “muito exigente” porque estagia em tonéis de madeira de mogno, considerada hoje uma madeira exótica e na qual poucos vinhos fermentam.

No final, e para tirar isso a limpo, uma prova de Vinhos branco (Verdelho), tinto (Periquita) e Moscatel (Colecção Privada Domingos Soares Franco) convenceu muitos participantes a levares uma (ou mais…) garrafinha de Moscatel para a família, pelo menos na versão oficial!

Para os mais resistentes houve ainda um almoço muito agradável no Restaurante “Taberna do Choco Frito”. Arroz de Pato e Migas acompanharam o prato forte: Episódios esquecidos da vida na Banca dos anos 50 e 60 que repousavam nos Tonéis da História à espera de serem redescobertas por outras gerações... Para quem quiser saber mais, não percam a próxima visita. Promete um brinde!





Apresentação Sobre nós Politica de Privacidade Contactos