Revista Impressos Quero ser Sócio Área Pessoal Galeria Biblioteca Pesquisa Newsletter

Calendário
Recreativo
Desportivo
Cultural
Férias e Viagens
Vida Associativa
Parceiros
 

Página Inicial > Caminhadas >

imprimir
Caminho de Santiago pela Costa - 3ª Etapa
De Esposende a Viana do Castelo

Os caminheiros disseram pronto à chamada. A pontualidade era indicativa da motivação para a 3ª etapa desta longa caminhada até Santiago de Compostela.
Siga para a camioneta, que a primeira parte é de cu tremido.

Esposende, 15°C. o tempo estava fresquinho, convidativo a uma caminhada tranquila. Foto de grupo, café tomado e bora lá marchar! Por entre as ruas estreitas de Esposende lá se iam trocando algumas palavras entre os caminheiros madrugadores.

Rapidamente, a bonita costa daquele concelho ficou para trás. Percorridas as freguesias do interior de Esposende, primeira paragem.
Aconchegado o estômago, um café e um carimbo, e o trajeto lá continuou por estradas empedradas e com declives que não estavam nas cogitações dos caminheiros.

Finalmente a entrada no mato. Um percurso belíssimo, cheio de oxigénio e que culminou com a travessia do rio Neiva através de uma ponte de pedra arcaica, mas digna de registo fotográfico! O distrito de Braga ficou assim para trás, continuando o percurso rumo a Viana do Castelo.

A subida em direção à Igreja de S. Tiago de Castelo do Neiva foi exigente, mas valeu a pena. Uma pequena paragem para fotos junto à estátua de S. Tiago, mais uma carimbadela e siga em direção ao almoço que a fome já apertava. Segue-se um belo percurso por uma calçada romana que desemboca na Igreja de São Romão do Neiva, com a Capela da Senhora do Crasto em frente.

Desta vez o almoço foi diferente, o "restaurante" não tinha mesas disponíveis para tantos caminheiros, pelo que foi necessária uma divisão em dois grupos.

Após o almoço, uma passagem por Chafé para mais um café e um carimbo. Para variar, os quilómetros da tarde foram os mais penosos e os desníveis não ajudaram. Chafé ficou para trás e chegou Darque, a última freguesia antes da travessia do rio Lima.

Depois dos últimos quilómetros em plano inclinado, lá apareceu a ponte Eiffel e o destino à vista. O carimbo final deu-se na Sé de Viana do Castelo.

Para repor as calorias gastas, não podiam faltar as bolas de Berlim do Natário, cuja fila exigiu tanto, ou mais sacrifício do que a caminhada.

Na próxima etapa, depois de uma noite bem dormida, o caminho é para Caminha!

Por André Coimbra, 17-11-2021




Apresentação Sobre nós Politica de Privacidade Contactos