Revista Impressos Quero ser Sócio Área Pessoal Galeria Biblioteca Pesquisa Newsletter

Recreativo
Calendário
Cultura
Desporto
Férias e Viagens
Parceiros
Vida Associativa
 

Página Inicial > Eventos Temáticos >

imprimir
Volta a Portugal ... sem sair do Sofá - 3ª etapa
Saída de Santa Lúzia

Santa Luzia é uma pequena aldeia pesqueira próxima de Tavira, que é especializada na captura de polvo. O porto ganha vida logo pela manhã quando o polvo capturado durante a noite é descarregado e vendido, enquanto que no resto do dia a bela aldeia mantém-se sossegada e sonolenta.

A fachada do porto está alinhada com vários restaurantes que servem polvo fresco, e estes estabelecimentos “encaram” a colorida frota de barcos. Santa Luzia pode ser pequena, mas proporciona uma agradável excursão de meio dia a partir de Tavira e pode ser visitada como parte de um passeio de bicicleta ou de uma pequena caminhada.

Santa Luzia é uma aldeia Portuguesa pesqueira e tradicional, que quase nunca mudou desde o aparecimento do turismo em massa. A principal atração é a própria aldeia e o charme antiquado que ela emana.

Existe uma praia deslumbrante a sul de Santa Luzia (Praia da Terra Estreita) que é apenas acessível de ferry. Esta praia faz parte da Ilha de Tavira e oferece um areal dourado, águas geladas e um cenário remotamente subdesenvolvido. Esta praia é reconhecida como a melhor praia da região e é sempre calma, mesmo na época alta de verão.

Nenhuma visita a Santa Luzia está completa até provar o polvo, uma iguaria adorada pelos Portugueses. Este prato é extremamente difícil de cozinhar e preparar, mas a aldeia dominou a arte desta receita de gosto adquirido.

A aldeia está posicionada no limite do Parque Natural da Ria Formosa, uma série de lodaçais protegidos e lagoas desenhadas para a vida de aves migratórias. No verão existem passeios de barco, mas é mais interessante ver centenas de caranguejos nos lodaçais durante a baixa maré, perto do porto.

Os polvos são capturados por métodos clássicos, que quase nunca foram alterados ao longo dos séculos. Para capturar o polvo, são lançados potes de barro para o fundo do mar e os animais sentem-se involuntariamente tentados a nadar para dentro das armadilhas, mas são incapazes de fugir. Estes potes de barro podem ser vistos alinhados nos barcos e no cais da aldeia.

Por Rui Duque, 14-03-2021



Anexos:

Perguntas

Regulamento

lista de Prémios




Apresentação Sobre nós Politica de Privacidade Contactos