Pesquisa

Calendário
Recreativo
Desportivo
Cultural
Férias e Viagens
Vida Associativa
Parceiros
9
2
4
 

Página Inicial > Cultural >

imprimir
A propósito da Ponte de Arouca
As viagens alargam horizontes e inspiram

Mas Portugal é muito mais: tem uma história incrível, desenhada com bravura por terra e por mar, e recheada de curiosos pormenores que foram definindo Portugal.

Somos inclusivos, hospitaleiros, aventureiros e diplomatas… e irreverentes.

Temos a melhor gastronomia do mundo (dúvidas?!), os melhores vinhos, e o melhor clima.

Estou sempre no ir, desejosa de conhecer novas gentes e locais. As viagens alargam horizontes e inspiram.

Após a libertação que teve no contexto doentio da pandemia que se arrasta, agravado pela súbita e estúpida guerra na Europa, que também já leva cinco meses, foi um fim-de-semana praticamente sem notícias, e por isso livre e “descontaminado”.

Mas o fim-de-semana foi muito mais que uma espécie de desintoxicação e de regresso à “normalidade”!...

No dia 28 saímos de Sete-Rios em direcção a S. João da Madeira para uma visita ao Museu da Chapelaria, um museu de se lhe tirar o chapéu!

Foi inaugurado em 22 de Junho de 2005 pelo Presidente da República Jorge Sampaio. É o único museu da Península Ibérica dedicado ao fabrico do chapéu. Integra a Rede Portuguesa de Museus e é um dos principais ícones culturais de São João da Madeira.

Tem uma sala de exposições temporárias e apresenta, pela primeira vez, a coleção de um criador de chapéus nacional, Luís Stoffel.

São chapéus, toucados, fascinators, acessórios de cabeça esculturais e máscaras, alguns criados especificamente para esta exposição, e outros, que irão integrar o acervo do museu.

Seguimos para Santa Maria da Feira – um belíssimo almoço da Adega do Monhé. Foi uma experiência absolutamente fabulosa! Incrível desde a apresentação, a simpatia dos funcionários... Ambiente muito agradável, pessoas muito simpáticas e comida muito saborosa. O chef supersimpático até nos explicou a confecção de alguns pratos típicos do restaurante, como o cozido à portuguesa no pão.

Seguimos para a belíssima praia de Miramar, em Vila da Feira. É um lugar maravilhoso, com vista sensacional. Visitámos a capela do Senhor da Pedra, do séc. XVII, em plena praia e que amiúde fica cercada pelo mar como se de uma ilha se tratasse. Diz-se que em tempos remotos ali existiu antes um altar pagão e é lugar místico. A verdade é que há muita gente que tem um interesse e devoção por este lugar.

Rumo a Grijó para uma visita ao Mosteiro de São Salvador de Grijó.

O complexo conventual é constituído pela igreja, de planta longitudinal de nave única, e pelas dependências conventuais, situadas à direita, com claustro de planta quadrada.

No espaço adjacente à igreja foi construído o claustro, de planta quadrada, com dois registos, tendo no primeiro a ordem jónica e no segundo a ordem coríntia. O registo superior é coberto por tecto de madeira. No espaço do claustro existem diversos painéis de azulejos policromos com figurações de apóstolos e doutores da igreja. Ao centro do espaço claustral foi edificado um chafariz de modelo flamengo, decorado por carrancas. Na ala norte do claustro foi depositado o túmulo de D. Rodrigo Sanches, filho ilegítimo de D. Sancho I. Classificada como Monumento Nacional desde 1910.

Pelas 19h, check-in no Hotel Dighton, em Oliveira de Azeméis; quartos amplos e confortáveis, funcionários simpáticos. O jantar estava óptimo, os alimentos eram todos de excelente qualidade, e o pôr do sol, fantástico.

Dia 29: Rumo a Arouca
Ponte de Arouca – travessia da ponte pedonal.

Trata-se, como se percebe, da maior ponte pedonal do mundo, erguida a 175 m de altura sobre o rio Paiva. Paisagem deslumbrante, experiência única.

Como é hábito, ao turismo de paisagem juntamos o interesse do património. Acompanhados pelo Prof. Miguel Soromenho, que nos ia transmitindo a cultura da região, e da gastronomia locais:

Depois da travessia da ponte suspensa, nada como uma boa refeição. Almoçámos no restaurante Casa dos Bifes Silva, em Alvarenga.

Muito bom: vitela a desfazer-se, e pudim de ovos e leite-creme queimado na hora, e branco à pressão fresquinho, tudo 5 estrelas a memorizar – vale muito a pena –, e a simpatia do staff.

Conduzidos pelo sr. Francisco, nosso motorista, andámos por estradas sinuosas que nos encantaram.

Acompanhados pela amiga Fátima Pereira, do Grupo Desportivo, sempre atenta ao nosso bem-estar, proporcionou-nos dois dias de convívio maravilhosos.

Por Madalena Canteiro, 12-08-2022




Apresentação Sobre nós Politica de Privacidade Contactos