Revista Impressos Quero ser Sócio Área Pessoal Galeria Biblioteca Pesquisa Newsletter

Calendário
Recreativo
Desportivo
Cultural
Férias e Viagens
Vida Associativa
Parceiros
 

Página Inicial > Cultural >

imprimir
À descoberta de Aboim
Quando se desce normalmente tem que se subir

Quase quase à hora marcada, 08.00,h arrancou o autocarro com os 28 “caminheiros” em direcção a Aboim, no concelho de Fafe.
Chegar a Fafe foi fácil, encontrar indicações para o início do trilho nem tanto.

Paramos para colher informações e eis senão quando, e para nossa tranquilidade, aparecem o Afonso Costa e o Florêncio Costa, dos Restauradores da Granja, que seriam os nosso guias na caminhada, que sabendo das dificuldades em chegar a Aboim, vieram ao nosso encontro. Chegados a Aboim, fomos apresentados ao Presidente da Junta de Freguesia, Sr. Novais e por este saudados.

O dia estava quente, mas, de início, uma ligeira brisa amenizava o ambiente, o que no dizer dos brincalhões, se ficava a dever às “ventoinhas” do parque eólico implantado no alto da serra. Seguindo por trilhos, mais ou menos acentuados, fomos aquecendo os corpos e agradecendo a brisa refrescante e ao mesmo tempo contemplando a paisagem, imponente de beleza e presenteando-nos com uma vista fabulosa sobre a barragem do Ermal e as serras do Marão e Gerês.

O tempo passa por nós, mas aqui, sentimos que passamos pelo tempo.
Deixando Aboim para trás, chegamos a Figueiró do Monte, arrancámos depois para Barbeita de Cima onde se iniciou a descida até à Ribeira da Jurada. Como quando se desce normalmente tem que se subir, lá fomos até Mós e outra subida, esta mais puxada, até ao Monte das Lameiras, onde podemos observar, ao longe, uma manada significativa de garranos.

Devido ao calor houve quatro caminheiros que não completaram o percurso, o que foi uma pena e aqui fica o nosso agradecimento ao “bombeiro” de serviço, o sr. Novais, que juntamente com os guias, providenciaram pela sua evacuação.
E é nestes casos que é posta à prova a solidariedade (?) e foi bonito ver "uma data" de voluntários a oferecerem-se para fazer companhia aos desistentes.

O repasto chegou por volta das 14.00h, quando já todos reclamavam em nome dos estômagos vazios e sem pretendermos fazer publicidade, parabéns ao DonnaBrasa, não só pela qualidade da comida, mas também e sobretudo, pela simpatia e cordialidade do seu pessoal.

Por Barra Duarte, 25-05-2010




Apresentação Sobre nós Politica de Privacidade Contactos