Secretaria   Galeria   Pesquisa   Mapa do Site   Contactos
 
ApresentaçãoSobre nósRevistaImpressosAdmissão de Sócio Newsletters

Recreativo
Calendário
Cultura
Desporto
Férias e Viagens
Parceiros
Vida Associativa
 

Página Inicial > Desporto >

imprimir
42ª São Silvestre da Amadora
Com a presença da consagrada Rosa Mota

Realizou-se a 42ª Edição da São Silvestre mais antiga de Portugal, prova de 10kms promovida pela Câmara Municipal da Amadora e pelo Desportivo Operário do Rangel com a organização técnica da HMS – Sports.

O percurso foi reestruturado este ano, com partida da Estrada dos Salgados até ao centro da cidade, passando pelo Parque Aventura e pela Rotunda do Vulcão, tendo os atletas, ao sexto quilómetro, enfrentado a conhecida “Subida dos Comandos”', que voltou a fazer parte do itinerário da prova, para depois entrarem na principal artéria da Amadora, a Rua Elias Garcia, antes de chegarem à meta instalada na Praça São Silvestre, junto ao metro Amadora Este.

Esta tradicional prova desenrola-se num autêntico ambiente de festa e tem o apoio constante de centenas e centenas de pessoas que apoiam os atletas ao longo de todo o seu percurso. É sem dúvida a prova que reúne mais apoio popular de todas as provas disputadas ao longo do ano na zona da Grande Lisboa.

Este ano a destacar a presença da campeã olímpica a consagrada Rosa Mota, com 58 anos, que tinha vencido a São Silvestre da Amadora na 15ª edição, em 1989 e que acabou por ser a “estrela” da prova, pela empatia que mostrou ter com o público e pela simpatia que espalhou em seu redor.

"Tive o público a aplaudir-me e a acarinhar-me durante todo o percurso, fez-me lembrar a edição de 1989, quanto estive aqui e era para ganhar. Agora não era, mas as pessoas não quiseram saber disso, queriam apenas a minha presença para me dar carinho e incentivar-me “'força Rosinha”. A antiga campeão olímpica confessou ter sido difícil superar a fase mais crítica da prova, a conhecida subida dos Comandos, mas, com toda a agente a aplaudi-la, disse "não ter sentido a subida, só o calor humano". Muito obrigado a todos os que vieram para a rua para me aplaudir e que participaram na prova", disse Rosa Mota à agência Lusa.

Como simples curiosidade, em relação aos resultados dos atletas do BPI, um deles, conseguiu um melhor tempo oficial (41:12) que a nossa “Rosinha” (42:34).

Por Miguel Chaves, 30-01-2017